A Victoria’s Secret contratou sua primeira modelo trans e é ninguém menos que a modelo brasileira Valentina Sampaio.

Valentina, que é nordestina, cearense, deusa, incrível e sagitariana, revelou em suas redes sociais que estava fazendo um ensaio fotográfico para a marca VS Pink da empresa de lingerie.

No Instagram, ela postou uma foto dos bastidores de si mesma em um roupão branco, marcando a marca e usando as hashtags “#diversity #staytuned” (diversidade e fiquem ligados, em português).

Valentina Sampaio quebra outra barreira para a representação trans no mundo da moda.

Valentina, que também foi a primeira trans a ser capa da Vogue em 2017, foi recebida pela modelo da Victoria’s Secret, Lais Ribeiro, que twittou: “Primeira trans a fotografar para a VS! Isso me deixa tão feliz! ❤️”

A atriz trans Laverne Cox também deu as boas-vindas à representação, escrevendo: “Uau, finalmente!”

Sampaio fez sucesso no mundo da modelagem, tornando-se embaixadora da marca L’Oreal em 2016.

A Victoria’s Secret ainda não confirmou oficialmente que contratou a modelo de 22 anos.

No entanto, a decisão iria, de alguma maneira reparar as relações com a comunidade trans.

As modelos trans Carmen Carrera e Leyna Bloom já lideraram os pedidos para que a empresa incluísse pessoas trans.

O diretor de marketing da empresa provocou revolta em 2018 depois que disse, em uma entrevista à Vogue, que não contrataria uma mulher trans.

Perguntado se a marca deveria contratar mulheres trans, Ed Razek disse: “Não, eu não acho que deveríamos. Bem, por que não? Porque o show é uma fantasia. É um especial de entretenimento de 42 minutos. É isso que é.”

“É o único do formato no mundo, e qualquer outra marca de moda no mundo levaria em um minuto, incluindo os concorrentes que estão reclamando de nós. E eles nos criticam porque somos o líder”.

O executivo de 70 anos também rejeitou a ideia de que modelos plus size merecessem um lugar na passarela, dizendo: “Nós tentamos fazer um especial de televisão para tamanhos maiores [em 2000]. Ninguém tinha interesse nisso, e ainda não tem.”

Leia também: Karl Lagerfeld e a cultura de lamentar a morte de opressores

Após a reação a estas observações, a empresa publicou um pedido de desculpas de Razek em sua página no Twitter, na qual ele insistiu que o desfile da Victoria’s Secret Fashion fez testes para modelos trans.

O post dizia: “Minha observação sobre a inclusão de modelos transgêneros no desfile Victoria’s Secret Fashion pareceu insensível. Peço desculpas.”

“Para ser claro, nós absolutamente lançaríamos uma modelo transgênero para o show. Nós tivemos modelos transgêneros vindo aos castings… E como muitas outras, elas não conseguiram… Mas a questão nunca foi sobre gênero.”

“Eu admiro e respeito sua jornada para abraçar quem eles realmente são.”