O aplicativo de pegação relacionamento Tinder, em parceria com o GLAAD, divulgou um novo recurso que vai permitir que os usuários selecionem até três termos que sentem que descrevem melhor sua orientação sexual, como gay, lésbica, bissexual, assexual, queer e até hétero, vê se pode.

Também ficara a cargo do usuário escolher se quer essa informação aparecendo no perfil ou não.

O usuário poderá também marcar uma opção dizendo se quer que o Tinder mostre pessoas da mesma orientação sexual primeiro.

“Nós queremos que todos os nossos usuários se sintam empoderados a expressar quem são, enquanto se conectam com novas pessoas – e estamos sempre trabalhando para fazer isso ser mais fácil para nossos usuários no Tinder”, disse o CEO Elie Seidman em um comunicado.

“Aplicativos de relacionamento são plataformas inestimáveis para conectar a comunidade LGBTQ+ e estamos mais que orgulhos de continuar nossos esforços, em parceria com o GLAAD, para melhorar a experiência da comunidade no Tinder.”

“O Tinder continua a mostrar uma dedicação pela inclusividade com atualizações que chegam a milhões de pessoas e criam espaços seguros para usuários LGBTQ”, disse Rich Ferraro, chefe de comunicações do GLAAD, que é uma organização não-governamental americana que monitora a forma como a mídia retrata a população LGBTQ.

“Seu trabalho mais recente para expandir as opções de orientação sexual adicionais é uma mudança impactante que ajuda as pessoas LGBTQ a se expressar autenticamente e dá mais controle sobre os matches em potencial”.

Em 2016, o Tinder adicionou a opção para usuários selecionarem entre uma variedade de termos que melhor representa sua identidade de gênero.

Essa atualização deve chegar primeiro aos Estados Unidos, Reino Unido, Canadá, Irlanda, Índia, Austrália e Nova Zelândia ainda em junho.

Ô, seu Tinder, libera logo o Brasil, tá?

Leia também sobre como aplicativos de pegação estão afetando a saúde mental dos gays e como o sexo online está se tornando mais magro, hétero e branco.