Uma nova exposição em Nova York está dando foco aos prisioneiros LGBT, que encontram um risco muito maior de sofrerem violência física e sexual, e têm menos probabilidade de receber apoio de seus amigos e família. “On The Inside” (Do lado de dentro, em português) é a culminação de um projeto de anos da filha da designer Diane von Fürstenberg, Tatiana von Füstenberg. Ela a apresenta uma gama de trabalhos, explorando diversos estilos e sujeitos.

"All Woman Half the Time", de Bruce
“All Woman Half the Time”, de Bruce
"Acceptance", de Steve S
“Acceptance”, de Steve S

Algumas peças são de cunho religioso enquanto outras são sexualmente explícitas. Há ilustrações de Hillary Clinton, Rihanna e Tupac, bem como diversos casais anônimos, retratos e vários trabalhos que exploram identidade de gênero.

Os detentos eram limitados em termos de materiais – basicamente páginas em branco, lápis sem pontas afiadas e canetas esferográficas sem tampa, uma vez que as tampas afiadas seriam “perigosas demais”. Um artista usou uma bombinha de asma com pó para preparação de suco para conseguir um retrato de Marilyn Monroe com técnica semelhante a um aerógrafo.

Jerry
Jerry

On The Inside

As peças não estão à venda, mas os visitantes da exposição podem mandar mensagens de texto para os artistas através de um serviço de transcrição ou até mesmo começar a trocar cartas com eles. Das 4.000 obras enviadas, 450 estão expostas.

“Através das lentes da arte, nós do lado de fora temos a oportunidade de testemunhar o sofrimento e celebrar a resiliência dos artistas que estão detidos. A arte nessas pareces demonstra a habilidade daqueles que estão sofrendo para ainda criar beleza. Cada uma das obras conta uma história e essas são histórias que precisamos ouvir”, diz o release da mostra.

"Cynosure", de Jim S
“Cynosure”, de Jim S

Assim como a arte, as legendas mostram um pouco das vidas dos prisioneiros.

“Eu fui despido de todas as minhas propriedades, roupas… e fui deixado para dormir em uma cela a -1ºC”, conta Felicity. “Fui abusado diversas vezes por causa de minha identidade, um gay afeminado. Mas eu continuo aqui, forte. Não vou me deixar abalar”.

On The Inside: obra de Armando
Armando

“Não consigo entender por que nossa orgulhosa cultura americana aceita nosso sistema desumano, indigno”, escreve Tony W. “É insano tratar as pessoas terrivelmente por anos e depois reinseri-las na sociedade. Eu me tornei sábio, mas ainda assim, revoltado”.

Von Fürstenberg teve a ideia para a exposição depois de conhecer o grupo de suporte para prisioneiros LGBT Black and Pink.

“Meu pai era gay”, disse ao The Daily Beast. “Ele tinha muita homofobia internalizada anos atrás e passou por um período muito difícil ao se assumir para mim. Depois foi ficando mais fácil. Crescer no mundo da moda significou que eu fui criada basicamente com a comunidade LGBT. São pessoas com as quais eu realmente me identifico”.

Tatiana von Füstenberg
Tatiana von Füstenberg, idealizadora de “On The Inside”.

“On The Inside” fica exposta no Abrons Arts Center em Nova York até 18 de dezembro.