A 23ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo a cada momento mais próxima e a programação da semana está a mil.

A Uber vai levar 13 atrações ao evento: uma para cada bandeira identitária da nossa comunidade. As bandeiras Gay, Trans, Lésbica, Queer, Agênero, Gênero Flúido, Não Binário, Intersex, Assexual, Bissexual, Panssexual, Polissexual estarão representadas não apenas pelos atrações, mas também nas outras ações da empresa.

Além disso, a Uber Eats vai ter uma ativação com as bandeiras na frente do Shopping Center 3, na Av. Paulista.

Representando a causa gay, o convidado é Mateus Carrilho. A causa trans é representada por Mel (ex-Banda Uó). As lésbicas serão representadas por Bia Ferreira. O grupo queer por Lia Clark.

As pessoas agênero por Triz; gênero flúido por Dudu Bertholini, que será o mestre de cerimônias; não-binário terá como representante Jaloo; interssexual por Dionne Freitas; assexual por Cup; bissexual Karol Conká; panssexual Dríade Aguiar; e polisexual Mulher PepitaBruna Linzmeyer também marcará presença. Como aliada da causa, a cantora Aline Rosa também vai animar o trio.

Fernando Cozendey foi convidado para fazer o figurino e vai vestir todas as atrações, cada uma nas cores da bandeira que representa.

“Na Uber, celebramos a diversidade, o respeito e apoiamos essas causas como parte da nossa cultura. É parte da história que estamos construindo. E esse ano queremos dar mais visibilidade ao grupos identitários que formam esse grupo de pessoas que nomeamos de LGBTQIA+. Há 12 bandeiras representadas nessa Parada e queremos ajudar as pessoas a reconhecê-las e identificar suas diferenças, suas demandas, suas lutas e desafios”, explica Ana Pellegrini, líder de diversidade da Uber no Brasil.

A empresa de transportes vai também receber a presença de funcionários em um dos trios.

No Brasil, o UberPride, grupo voluntário que defende a diversidade na empresa, já chega a 21% da sua força de trabalho – e estarão bem representados na maior parada do Orgulho LGBTQIA+ do mundo.

Os aplicativos vão estar com as bandeirinhas do arco-íris em São Paulo durante essa semana.

Programa de oportunidades para LGBTQIA+ em situação de vulnerabilidade

A Uber ainda está preparando uma plataforma de assistência para pessoas LGBTQIA+ em situação de vulnerabilidade no app. A Uber foi uma das primeiras empresas a permitir, no Brasil, a inscrição de transsexuais com o nome social sem processos jurídicos ou burocracia. Agora, a empresa vai trabalhar junto com instituições e ONGs para garantir o ingresso mais tranquilo de pessoas LGBTQIA+ seja como motoristas parceiros ou entregadores.

Compromisso com a diversidade

O respeito e o apoio à diversidade são prioridades da Uber, que nasceu em São Francisco – berço mundial dos movimentos afirmativos. Recrutamento e retenção de pessoas LGBTQ+ é uma ação que vem dando certo globalmente: de acordo com uma pesquisa feita com funcionários no mundo todo em 2017, 15% dos empregados espontaneamente se declararam LGBTQ+.  A Uber também foi eleita pela Human Rights Campaign Foundation como uma das 100 melhores empresas para trabalhar para pessoas da comunidade LGBTQ+.