Há muitos mitos espalhados por aí que envolvem o sexo gay, queer ou trans. Alguns deles são mais ignorantes do que prejudiciais, mas outros são até perigosos. Vamos desmascarar os 25 mitos mais comuns e persistentes sobre a sexualidade LGBT, sem nenhuma ordem específica.

Bora?

1. Homens gays só fazem sexo anal

Há tantas outras maneiras de transar além de fazer só sexo anal. Homens gays transam de vários jeitos diferentes. Além disso, nem todos os caras curtem anal. Ninguém é igual a ninguém.

2. Lésbicas só curtem “tesourar”

Ah sim, a clássica suposição errada de que lésbicas só curtem “tesourar”. Apesar de ela ser apreciada em vários relacionamentos lésbicos, a prática não é a posição sexual preferida para muitas mulheres cis. Sexo oral ou anal pode ser muito mais apreciado. Depende muito das mulheres que estão transando.

3. Bissexuais

Esse é falso, apesar de ser tão recorrente. Não, bissexuais são bissexuais mesmo: eles sentem atração por pessoas do mesmo gênero e por outro ou mais. É simples assim, mas as pessoas insistem em obrigar bissexuais a se identificarem como algo que eles não são.

4. Transexualidade

Uma página inteira poderia ser dedicada às suposições incorretas presentes sobre a transexualidade. Um ponto válido: os corpos trans funcionam diferente dos corpos cisgênero, ou seja, as pessoas trans fazem sexo de formas diferentes. Algumas usam os genitais durante o sexo, outras, não. Algumas praticam a penetração, outras, não. No fim das contas, depende da pessoa.

5. Queer significa apenas gay

Há uma variedade de definições e identidades sob o termo queer. Como queer é um termo guarda-chuva, é importante não reduzi-lo a apenas gay.

6. Assexuais

Pessoas assexuais sentem pouca ou nenhuma atração sexual, o que não significa que exista a pessoa “certa” que “consertará” essa assexualidade. Elas simplesmente não sentem atração sexual da mesma forma que outras pessoas sentem.

7. Relacionamentos poliamorosos são um pretexto para sexo casual

Não é verdade. Relacionamentos poliamorosos saudáveis são construídos com laços românticos e sexuais fortes, significativos e fortalecedores. É importante não confundi-los com relacionamentos abertos: duas ou mais pessoas fazendo sexo com outras, mas que continuam envolvidas romanticamente.

8. Relacionamentos abertos desmoronam

Uma relação madura, saudável e feliz pode fazer com que um relacionamento aberto funcione! Não, um relacionamento aberto não necessariamente significa algo dramático.

9. Tomar a PrEP significa transar sem camisinha!

Alto lá! Há muitas outras infecções sexualmente transmissíveis por aí além do HIV. A PrEP pode salvar vidas, mas ainda é importante se cuidar, ficar atento e realizar os testes regularmente.

10. Não há jeito seguro para dar “beijo grego”

Há, sim! As “dental dams” (folhas de látex utilizadas em consultórios odontológicos) não são apenas seguras, como também facilitam a limpeza e removem aquele gosto residual questionável quando você termina. Camisinhas femininas também funcionam para o ânus, bem como cortar uma camisinha masculina.

11. Vocês não precisam de proteção se já dormiram juntos

Errado, por vários motivos! Algumas formas de sexo são sujas e exigem a camisinha, como o sexo anal. O seu parceiro também pode contrair uma infecção sexualmente transmissível e passá-la para você, ainda mais se o relacionamento for aberto. Não se arrisque.

12. Homens gays têm mais tesão

Germany, Saxony, Homosexual couple caress each other in bed, close up

A libido dos homens gays varia muito. Alguns caras gostam de fazer muito sexo casual, outros com menor frequência e somente em relacionamentos. Cada um é diferente.

13. Enquanto isso, as lésbicas não têm tesão algum

O mito da Morte na Cama Lésbica não tem validade nenhuma. Muitas lésbicas em relacionamentos permanecem bastante ativas sexualmente com suas parceiras. Outras, um pouco menos, mas isso não valida o estereótipo! Apenas significa que todas as pessoas e relações são diferentes.

14. Mulheres trans fazem sexo igual aos filmes pornôs

Não, não mesmo. A pornografia retrata o sexo de forma fantasiosa, inclusive para mulheres trans. Nós não agimos ou nos comportamos como muitas mulheres trans em filme pornô; algumas de nós nem curtem usar o consolo sem alça. Essa não é uma imagem realista de como o sexo é.

15. Você precisa dar um beijo grego para ser gay

Ou fazer sexo anal. Ou ser passivo. Ou ser ativo. Nada disso importa; o que é importante é o seu parceiro respeitar você e os seus limites. Você nunca precisa fazer algo que não queira.

16. Nós somos todos ativos ou passivos

Há muitos outros “tipos” por aí, inclusive os versáteis. E alguns caras preferem não usar os termos “ativo” e “passivo” no geral, pois se enxergam simplesmente como um parceiro para a outra pessoa.

17. Ou nós estamos saturados de passivos

Ainda que os passivos sejam comuns na comunidade LGBT, isso não significa que estamos em uma seca de ativos ou versáteis. Novamente, há muitos tipos de pessoas com vários tipos de preferência na comunidade atualmente. Abra sua mente!

18. A sexualidade gay não aparece na cultura pop

Ah, nós estamos bem presentes. De videogames como Mass Effect e Life Is Strange até seriados como The L Word. Sério, você precisa ser alienado para não perceber.

19. Relacionamentos sempre acabam em casamentos

Relacionamentos gay e queer podem tomar diversos rumos. Muitos casais decidem não noivar porque, bem, qual a real necessidade? É importante estar aberto à ideia de que as vidas sexuais e românticas dos outros são diferentes.

20. O circuito de festa “é insano”

Nós da comunidade queer sabemos organizar festas incríveis, mas o termo “insano” é relativo. Cada anfitrião tem seu próprio estilo, e alguns são mais tranquilos do que outros. Isso depende das circunstâncias, de quem está organizando, e se o grupo de amigos é mais casual ou baladeiro.

21. O mercado de brinquedos sexuais é um nicho

Acredite, ele não é. Há sites e mais sites dedicados a brinquedos para homens gays e lésbicas, e há vários guias online para pessoas trans que querem fazer sexo. E para os homens gays, confiram estas dicas de brinquedos sexuais. São perfeitos para qualquer quarto.

22. Não existe pornografia feita por e para mulheres queer ou trans

Falso! Cada vez mais, a internet está permitindo que criadores queer e trans desenvolvam histórias, filmes e quadrinhos eróticos conforme suas próprias identidades. Confira Nerve Endings, um livro erótico publicado em 2017.

23. O HIV não é mais um problema atualmente

Man holding red aids ribbon

Isso não é verdade, e algumas comunidades – como a comunidade trans – estão sob alto risco de contrair o HIV. Ainda que medidas amplas tenham sido tomadas para controlar o HIV, ele ainda permanece um problema sério em nossas comunidades.

24. Nós sabemos tudo o que há para saber a respeito do outro

Os currículos de educação sexual LGBT são praticamente inexistentes. Muitos de nós aprendem no dia a dia, então, é importante ter empatia e paciência para com os outros quando somos ignorantes ou não temos certeza de algo.

25. A sexualidade e os relacionamentos queer são radicalmente diferentes

No fim das contas, a sexualidade queer é um espelho da sexualidade hétero de várias maneiras. Nós ficamos, brigamos, transamos depois de fazer as pazes, experimentamos com o parceiro, nos aproximamos dos outros… É tudo bem semelhante, sob muitos aspectos, e apenas uma outra parte da experiência humana.

Artigo de Ana Valens para a Out, traduzido por Leo Rodrigues para o QueerFeed.