Depois de iniciar os trabalhos da votação da Criminalização da Homofobia em fevereiro, o Supremo Tribunal Federal interrompeu a votação após quatro sessões com 4 votos a favor da equiparação da LGBTfobia e da transfobia ao racismo, sem previsão de retorno.

A quatro sessões só foram suficientes para os votos de quatro ministros, de um total de 11. Votaram a favor da criminalização da homofobia os ministros Edson Fachin, Celso de Mello, Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso.

O STF decidiu retornar o julgamento da lei no próximo dia 23 de maio.

Resta saber se as próximas sessões serão suficientes para ouvir os sete votos restantes do Supremo, ou se haverá mais uma nova pausa até a conclusão da votação.

A nova data foi definida após pressão de diversas ONGs LGBTQ, coletivos e militantes independentes.

A urgência é real visto que, no Brasil, um LGBTQ morre a cada 20 horas. Além de ser o país que mais mata pessoas trans no mundo. #CriminalizaSTF