Courtney Act, a Drag Queen australiana mais conhecida pelo público internacional pela sua participação na sexta temporada do reality RuPaul’s Drag Race, fala sobre sua identificação como gender-queer e sua pansexualidade em uma entrevista para a revista inglesa Attitude Magazine.

Acompanhada de um belo ensaio fotográfico (veja a galeria acima), a entrevista passa por temas como sua sexualidade, feminismo, política e sua participação (e vitória!) no Celebrity Big Brother UK, uma versão do famoso reality na Inglaterra com celebridades locais.

Durante sua participação no programa, que lhe rendeu o grande prêmio, Courtney se recusou a “abafar” suas opiniões políticas e sua visão de mundo, e suas tentativas de educar os outros participantes garantiram à loira o forte apoio do público, principalmente nas redes sociais. Após retornar ao mundo real fora da casa e ver o resultado de seu discurso lá dentro, ela reafirma a necessidade de educar as pessoas sobre todas as faces da comunidade LGBTQ+:

“É importante reconhecermos a bissexualidade, a pansexualidade… Temos uma ideia tão rígida sobre o que é a heterossexualidade ou a homossexualidade, e isso é problemático”.

Ainda sobre sua própria experiência de vida, ela adiciona:

“A razão pela qual eu me identifico como pansexual não é por olhar mulheres na rua e sentir vontade de transar com elas. O motivo é por ter tido experiências sexuais e emocionais com mulheres, e contar com isso sempre como uma possibilidade. A última vez foi em 2016, quando participei de um ménage com duas mulheres lésbicas. Eu tive uma conexão muito forte com uma dessas garotas, e isso não invalida minha identidade como gay.”

A artista também relembrou sua participação em RuPaul’s Drag Race, e falou sobre a fama de arrogante que acabou adquirindo com os fãs por conta da edição do programa:

“Eu sei que em Drag Race eu parecia uma pessoa mais fria e sem papas na língua. Eu lembro de uma vez, quando eu e Joslyn Fox participamos de um desafio sobre uma propaganda de cosméticos, e Joslyn disse: ‘já sei, vamos fazer um antes e depois. Você pode ser o antes!’ – Eu a respondi em tom de brincadeira e todos demos risadas. Mas a edição mostrou apenas a reação no rosto dela, e as pessoas me acusaram de ter sido cruel.”

A entrevista completa pode ser lida na edição impressa ou online da Attitude Magazine UK.