Cher está voltando à TV! A lenda viva, de 70 anos, vai estrelar e ficar a cargo da produção executiva de um novo filme do canal Lifetime sobre a crise hídrica em Flint, Michigan, intitulado provisoriamente de Flint.

De acordo com o Deadline, o filme vai ser um “drama baseado em fatos reais que vai examinar os eventos que levaram ao ‘crime tóxico’ cometido contra a população de Flint.”

Cher vai interpretar uma das moradoras da cidade, que sofreu com a contaminação da água.

Essa não é a primeira vez que Cher destacou os problemas que aconteceram na cidade. Ano passado, ela se uniu à marca de água Icelandic Glacial e doou mais de 181.000 garrafas para os residentes de Flint.

“Essa é uma tragédia de proporções catastróficas e é absurdo que esteja acontecendo no meio do nosso país”, disse a ganhadora do Oscar.

Flint vai ser produzido por Katie Couric, Craig Zadan e Neil Meron, que estão por trás de outros grandes projetos para a TV.

Este será apenas o segundo filme televisivo de Cher. O primeiro foi em 1996, no clássico da HBO O Preço de uma Escolha (If These Walls Could Talk), com Demi Moore.

O caso

A cidade de Flint sofre desde 2014 com o abastecimento de água comprometido por uma alta concentração de agentes tóxicos. O governador Richard Snyder sofre pressão para renunciar, acusado de ter ignorado as queixas dos moradores sobre a contaminação da água. O governador pediu desculpas em um discurso no fim de 2015.

Em 2014, para cortar custos, o sistema hídrico de Detroit foi desligado e, temporariamente, usaria-se a água do rio Flint para abastecer a cidade, até um novo reservatório estadual ser construído.

A água do rio, porém, era altamente corrosiva, o que fez com que os canos da cidade de desfizessem, soltando quantidades tóxicas de chumbo. Os moradores começaram então a sofrer com problemas de saúde, como dores de cabeça, irritações de pele e queda de cabelo.

A água foi comparada a “lixo tóxico” por organizações ambientais. As autoridades, porém continuaram dizendo que a água era segura.

O então Presidente Obama destinou 5 milhões de dólares para a região e chamou de “indesculpável” a conduta das autoridades frente à situação.

Parece meio Erin Brockovich, né? Tensa a situação. Que eles consigam resolver logo, né?