Billy Porter fez história LGBTQ na noite de ontem (22) ao se tornar o primeiro negro abertamente gay a ganhar um Emmy por Melhor Ator em Série Dramática.

Essa foi a primeira vitória de Porter no Emmy, justamente por seu papel como Pray Tell, o mestre de cerimônia dos bailes da década de 80 e um protagonista masculino no inovador drama musical de FX, Pose.

Vestido no seu estilo arrebatador de sempre com terno de lantejoulas e chapéu elaboradíssimo, Porter subiu ao palco gritando: “A categoria é amor, pessoal, amor!”

Leia também: Pose imortaliza belamente mulheres trans negras que foram mortas

Billy Porter fez referência ao dramaturgo e ativista norte-americano James Baldwin em seu discurso de aceitação.

Ele disse à multidão: “James Baldwin disse que foram necessários muitos anos para vomitar toda a imundície que me haviam ensinado sobre mim, e meio que acreditei, antes que eu pudesse andar por esta terra como se tivesse o direito de estar aqui.

“Eu tenho o direito, você tem o direito – todos nós temos o direito!”

Depois de agradecer a seus amigos, colegas e entes queridos, Porter concluiu: “Nós, como artistas, somos as pessoas que mudam a estrutura molecular dos corações e mentes das pessoas que vivem neste planeta. Por favor, nunca pare de fazer isso. Por favor, nunca pare de dizer a verdade. “

Leia também: Billy Porter critica atores héteros que são premiados por papéis gays

Suas palavras ressoaram com a multidão, que o aplaudiu de pé.

Os outros indicados na categoria foram Jason Bateman em Ozark, Kit Harington em Game of Thrones, Bob Odenkirk em Better Call Saul e Sterling K. Brown e Milo Ventimiglia em This Is Us.