Janeiro é um grande mês para os fãs da DC Comics. Uma das escritoras da marca icônica se revelou trans mês passado, e a última edição de Detective Comics também revela o apoio de Batman por um misterioso novo personagem, que também é trans.

É Dra. Victoria October, uma cientista pouco ortodoxa responsável por uma área de Gotham City que ela chama de “Cidade Monstro”.

DC-Comics-Flag-October-Sturges-500x286

Claro que a cientista não é a primeira personagem trans nas histórias em quadrinhos. A honra foi da companheira de quarto da Batgirl, Alysia Yeoh, que se revelou trans para Barbara Gordon, em abril de 2013, em um diálogo emocionante.

A história de gênero de Dra. October, porém, é tratada mais como um comentário, em sua primeira aparição com Batman e Batwoman.

“A melhor parte? A nova aliada de Batman não é definida por sua identidade trans. Na verdade, se você não é uma das pessoas cuja existência é validada pela história do personagem, há a chance de você nem perceber”, escreveu Andrew Dyce. “O fato de que a maioria dos leitores vai simplesmente tomar Dra. October como a mulher que aparenta ser é o melhor cenário possível”.

October-Comic-500x250

October dá a dica em dois quadros, um fazendo alusão a eles terem se conhecido antes da transição e o seguinte, marcando sua gratidão depois de ter se revelado, marcando Batman para sempre como um aliado trans.

No último mês de dezembro, a escritora Lilah Sturges foi também se revelou trans, via Facebook.

16106003_1169468956455114_9197409438802745493_n-400x400

“Por favor, não evite falar comigo se você tem medo de errar. Se acidentalmente você me chamar de ‘Matt’ ou ‘Matthew’, ou se referir a mim como ‘ele’, NÃO TEM PROBLEMA. Eu acidentalmente me refiro a mim como ‘ele’, às vezes! Não precisa se preocupar em se desculpar demais”, escreveu Lilah.

Apesar disso, ela não é a primeira mulher trans no universo dos quadrinhos. Sophie Campbell, de Jem and the Holograms, Rachel Pollack, de Doom Patrol e Magdalene Visaggio, de Kim & Kim a precederam.